O que é Fluxo de Caixa e como fazer um Fluxo de Caixa Empresarial

O que é Fluxo de Caixa e como fazer um Fluxo de Caixa Empresarial

Saiba tudo sobre Fluxo de Caixa: o que é, como funciona e por que criar um modelo empresarial. Aprenda como desenvolver e organizar as finanças da sua empresa.

A cada quatro empresas criadas, uma delas fecha as portas antes de completar dois anos de vida. As razões para que isso ocorra são variadas, mas entre as causas está a falta de controle do Fluxo de Caixa. É justamente por não entender como funciona, que os reflexos negativos impactam diretamente as finanças de muitas companhias.

Dominar Fluxo de Caixa é essencial para qualquer segmento, independente da sua área de atuação. Neste super artigo, vamos detalhar diversos aspectos, para que você possa compreender melhor de que maneira o Fluxo de Caixa, pode ser implementado, para que a saúde financeira do seu negócio esteja sempre em dia.

O que é Fluxo de Caixa?

Podemos definir o Fluxo de Caixa como uma ferramenta de controle financeiro. Por meio dela, visualizamos todas as entradas e saídas de dinheiro, tendo assim uma visão completa do negócio. Graças à análise do Fluxo de Caixa é que uma empresa tem a noção exata de quanto está gastando ou ganhando em cada uma das áreas de atuação.

O acompanhamento rígido das receitas é a melhor maneira de compreender o que funciona e o que não está tão bem assim em um empreendimento. Além disso, por meio da análise de faturamento, fica mais fácil traçar metas e fazer previsões para os meses seguintes. Por sua importância, essa não é uma tarefa que deve ser tratada de forma secundária.

Por meio da análise de faturamento, fica mais fácil traçar metas e fazer previsões para os meses seguintes.

Caso essa atividade básica seja feita de qualquer maneira ou sem a devida atenção, a empresa pode ter sérios problemas financeiros. O nível de detalhamento deve ser alto, pois desprezar valores baixos ou ciclos de recebimento pode criar verdadeiros rombos no caixa, impossíveis de serem encontrados – e que podem causar até mesmo a falência da companhia.

Qual a importância do Fluxo de Caixa para as Pequenas Empresas?

Por tudo aquilo que já mencionamos acima, você já deve ter percebido que o Fluxo de Caixa é parte essencial da vida de qualquer empresa. Nas pequenas e médias, então, esse controle se torna ainda mais essencial. Isso porque falamos de companhias muitas vezes iniciantes e com faturamento menor e que, muitas vezes, não são muito bem administradas pelos seus gestores.

Um problema recorrente nas microempresas, por exemplo, é o de administradores que frequentemente misturam as suas contas pessoais com os gastos empresariais.

Um problema recorrente nas microempresas, por exemplo, é o de administradores que frequentemente misturam as suas contas pessoais com os gastos empresariais. Por mais que, em tese, “tudo pertença ao dono”, contabilmente é fundamental que se separe as receitas e as despesas da empresa dos gastos realizados pelo proprietário como Pessoa Física.

Por tudo aquilo que já mencionamos acima, você já deve ter percebido que o Fluxo de Caixa é parte essencial da vida de qualquer empresa. Nas pequenas e médias, então, esse controle se torna ainda mais essencial. Isso porque falamos de companhias muitas vezes iniciantes e com faturamento menor e que, muitas vezes, não são muito bem administradas pelos seus gestores.

A. Elaboração de Plano de Contas Gerencial

O Plano de Contas Gerencial é um modelo de organização dos dados financeiros da empresa. É importante que ele não seja confundido com Plano de Contas Contábil, que é mais detalhado e complexo. Para montar um Plano Gerencial, antes de tudo é preciso ter conhecimento sobre os dados financeiros. Depois, é necessário categorizar as receitas, as despesas e os custos da companhia.

 

B. Elaboração da Demonstração de Fluxo de Caixa

Na elaboração do Fluxo de Caixa leva-se em consideração quais foram as entradas e saídas durante um determinado período. Essa demonstração dinâmica dos resultados deve ser incluída no Balanço Patrimonial e sua apresentação é obrigatória para todas as sociedades de capital aberto cujo patrimônio líquido seja maior do que R$ 2 milhões. Ele deve contemplar as atividades operacionais, as atividades de investimento e as atividades de financiamento.

C. Redução de Custos na Empresa

A Redução de Custos na Empresa é uma consequência direta de um Fluxo de Caixa bem elaborado. Quanto mais detalhado for o descritivo das movimentações financeiras, mais fácil fica para identificar os gastos com potencial de serem reduzidos ou até mesmo descartados. Uma boa análise do Fluxo de Caixa resulta, invariavelmente, no corte de despesas supérfluas e em uma condição financeira mais sólida do ponto de vista das despesas.

D. Projeções Financeiras

O Fluxo de Caixa realizado mês a mês se torna também um aliado imprescindível no planejamento de uma empresa. A partir dele, é possível elaborar as projeções financeiras dos meses seguintes.

Isso permite provisionar recursos de forma a garantir a sua subsistência ao longo de um determinado período, ainda que ocorra um severo comprometimento das receitas. É, portanto, elemento básico para as companhias que desejam crescer ou investir.

E. Conciliação Bancária

A Conciliação Bancária nada mais é do que o comparativo dos dados financeiros internos com o extrato bancário. Quando a empresa não conta com um Fluxo de Caixa organizado, fica difícil realizar essa missão de forma assertiva.

O uso de um software de gestão financeira torna essa tarefa muito mais simples. No caso do Sage Start, por exemplo, é possível importar o extrato bancário e conciliar com as programações lançadas.

F. Elaboração de Controle de Recebimentos e Pagamentos Parcelados

Valores parcelados a receber precisam de um controle rígido por parte do empresário. Muitas vezes, a oferta de uma condição diferenciada de pagamento agrada aos clientes e fornecedores, mas na prática podem ser que os números indiquem que esse é um mau negócio. Para encontrar o equilíbrio entre as possibilidades de parcelamento e uma condição que não comprometa as finanças, é preciso que o Fluxo de Caixa esteja perfeitamente ajustado para suportar pagamentos de médio e longo prazo.

G. Gerenciamento de Clientes e Fornecedores

Clientes e fornecedores parceiros merecem ter uma condição especial de pagamento, desde que adquiram volumes que compensam esse investimento. Como encontrar o ponto de equilíbrio e oferecer um negócio que seja bom para as duas partes?

A resposta está no Fluxo de Caixa. Por meio da sua organização e posterior análise é que você terá os indicativos com relação ao que é possível ser feito. Alguma dúvida ainda sobre a importância dessa ferramenta?

 

Fonte: sage | Imagem destacada: Pexels

Visite nosso BLOG